Botucatu decreta situação de emergência pela proliferação de escorpiões e Aedes aegypti

A Prefeitura de Botucatu decretou situação de emergência por conta da proliferação de escorpiões e do mosquito Aedes aegypti. O documento foi assinado na teça-feira (8).

A medida foi adotada porque, na cidade, os agentes que trabalham no controle dos criadouros do mosquito estão com dificuldades para fazer o trabalho.

Isso porque em muitas das casas visitadas, ou o morador não abre o portão ou ele não deixa o agente entrar. De acordo com o decreto, por 10 dias a prefeitura vai notificar os donos de imóveis e terrenos para que seja feita a limpeza das áreas.

Após esse período, caso o pedido não seja atendido, a administração pública fará o serviço, porém, o proprietário será multado e terá que pagar pela limpeza executada. A multa será de R$ 5,50 por metro quadrado, cerca de R$ 1,3 mil em um lote padrão de 250 metros quadrados, seguindo a lei municipal 2.482.

Durante o estado de emergência, segundo a prefeitura, fica permitida a entrada de agentes de saúde, acompanhados de autoridades, em imóveis e terrenos onde os donos tenham negado a vistoria.

Em 2017, de acordo com a prefeitura, foram registrados 98 acidentes envolvendo escorpiões. Já em 2018, o número aumentou para 108. Também no ano passado, Botucatu ficou em estado de alerta devido ao índice de infestação do Aedes aegypti, transmissor de dengue, vírus da zika, chikungunya e febre amarela.

Os terrenos podem ser denunciados no Balcão da Cidadania pelos telefones (14) 3811-1401 ou 3811-1431, e tambémna Zeladoria, pelo telefone (14) 3811-1428.

Faça um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.