Rafaela Silva relata abuso policial no Rio de Janeiro

Medalha de ouro nos Jogos Olímpicos do Rio 2016, a judoca Rafaela Silva relatou nesta quinta-feira (22) ter sido vítima de preconceito racial no Rio de Janeiro, cidade onde mora.  

A atleta publicou nas redes sociais que foi parada por um policial ao pedir um táxi no aeroporto. A judoca contou que o policial chegou a perguntar ao taxista se ele a havia “pego na favela”.

“Na altura do campeonato, chegando no Rio de Janeiro, tive que passar vergonha e descobrir que preto não pode andar de táxi agora. Passaram 4 policiais dentro do carro e ficaram encarando o táxi que eu estava dentro” – contou a campeão olímpica e mundial.

Em seguida, a atleta contou que os policiais ligaram a sirene da viatura e mandaram o taxista encostar.  Rafaela precisou descer na Avenida Brasil após o policial bater com a arma na janela do veículo.

“O cara olha pra minha cara e pergunta: ‘trabalha com o quê?’. Falei que não trabalho, sou atleta. ‘Tu é aquela da olimpíada, né? Mora onde? ‘ Jacarepaguá, estou tentando chegar em casa. O taxista disse que me pegou no aeroporto”, disse Rafaela.

Em outra postagem, a judoca contou o que ouviu do policial: ‘ah tá, pode ir lá então, achei que tu tinha pego na favela (sic)’.

“Agora preto nem de táxi pode andar que deve estar assaltando, roubando””, concluiu a judoca

Faça um comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.