Polícia prende mulheres por tráfico de drogas e receptação

Duas mulheres suspeitas de envolvimento com o tráfico de drogas foram presas na manhã de quinta-feira, dia 30, em Fartura, por policiais civis da cidade. A ação ocorreu durante cumprimento de mandado de busca e apreensão em uma residência situada à rua Cecílio Louvison, no centro.

Alvos de investigação na Delegacia, L. F. A., de 39 anos, e P. B., de 25, foram surpreendidas no local pela presença dos policiais, os quais, após minuciosa vistoria, encontraram drogas e objetos de propriedade das suspeitas que estão relacionados à atividade criminosa.

Indagada sobre a denúncia, L. confessou que vendia drogas para P. e indicou onde estava o dinheiro obtido no dia anterior. Contudo, relatou que não havia drogas na casa, porém, além da quantia mencionada, os policiais encontraram no armário da cozinha uma porção de crack, diversas embalagens plásticas vazias, bem como 3 microtubos, material comumente utilizado por traficantes para acondicionar cocaína.

Dando continuidade à busca, os agentes foram até outro imóvel localizado aos fundos, onde reside P., cujo celular continha mensagens que revelavam que os entorpecentes ficavam escondidos no sofá da casa de L. e que as mesmas pertenceriam a sua colega. O móvel foi vistoriado e de seu interior foi retirada uma sacola plástica com 14 porções de crack, 2 microtubos com cocaína e 11 vazios, além de uma porção de 44 gramas da mesma droga.

A equipe da Delegacia de Fartura também localizou no imóvel de P. uma corrente furtada de uma residência na cidade no início do mês. Após o reconhecimento formal, a joia foi restituída à vítima.

Outros dois aparelhos telefônicos foram apreendidos na casa. Eles serão periciados para a retirada de mais mensagens, ou até mesmo fotos, vídeos e áudios que possam instruir o inquérito policial.

Diante dos fatos foi lavrado o Auto de Prisão em Flagrante pelos crimes de tráfico e associação para o tráfico de drogas, além de receptação. A dupla foi conduzida para uma unidade prisional da região para permanecer à disposição da Justiça.

Faça um comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.