Polícia Civil esclarece assassinato de comerciante de Arandu que teve corpo carbonizado

Em coletiva de imprensa realizada na tarde de hoje, 14/03, na Seccional de Polícia de Avaré, a Delegacia de Investigações Gerais (DIG) anunciou a prisão de dois homens suspeitos de terem assassinado o comerciante Osvaldo Lopes Filho, proprietário da famosa “Venda do Arandu”, na madrugada de 3 de dezembro do ano passado. A vítima foi localizada na casa onde morava, no bairro Avaré I, com o corpo carbonizado.

A dupla foi capturada pela manhã, durante diligências para cumprimento de mandado de busca e de prisão. O primeiro foi B. B. P. de A., de 24 anos, localizado na casa onde morava. Logo em seguida foi detido o segundo suspeito, W. H. de L., de 22 anos. Ambos confessaram o crime.

Além do Delegado Seccional Rubens César Garcia Jorge, o Delegado Jorge Cardoso de Oliveira e o Investigador Chefe Alexandre Novaes Costa Aurani, participaram da coletiva o Delegado da DIG, Fabiano Ribeiro Ferreira da Silva e o Investigador Mário Celestino, os dois últimos responsáveis por explicar os principais pontos da apuração que permitiu à Polícia Civil identificar, localizar e prender os autores do bárbaro crime.

Segundo foi apurado, a vítima costumava frequentar o baile da Ferroviária e neste local, na noite que antecedeu o crime, um sábado, conheceu B. e W. Eles consumiram bebida alcoólica e algum tempo depois foram até à casa de Osvaldo. Lá ingeriram mais bebida e em dado momento se desentenderam, houve uma discussão generalizada e a dupla começou a agredir a vítima.

Um dos suspeitos teria estrangulado o comerciante, que perdeu os sentidos. Entendendo que o mesmo já estava morto, e para se eximir de eventual responsabilidade criminal, a dupla então envolveu o seu corpo em um lençol, amarrou-o em um colchão, derramou sobre ele querosene que achou na cozinha da casa e depois ateou fogo.

Chegou-se à conclusão também que os suspeitos tentaram deixar a casa com o carro da vítima, mas como não eram habilitados para dirigir, engataram a marcha ré de forma errada e se chocaram com o muro da garagem. Por isso, deixaram o local a pé.

Na casa de um dos suspeitos foi localizado o celular de Osvaldo, prova material que somada à confissão espontânea da dupla, inclusive com a informação de que teriam subtraído dinheiro da vítima para consumir mais bebida logo após o crime, levou a Polícia a alterar a natureza do crime, de homicídio qualificado para latrocínio, que é o roubo seguido de morte.

Os suspeitos estão presos temporariamente pelo prazo de 30 dias, mas a DIG pretende solicitar a prisão preventiva, para que continuem detidos até decisão do Júri.

O comerciante Osvaldo Lopes Filho era pessoa bastante conhecida em Avaré e região por ter sido proprietário da “Venda do Arandu”, estabelecimento que nos anos 90 ilustrou a capa do disco “Cowboy do Asfalto”, da dupla Chitãozinho e Xororó, que à época já estava no auge da carreira.

Faça um comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.