Em reexame, TCE rejeita contas de Poio em 2015

O TCE (Tribunal de Contas do Estado de São Paulo) rejeitou os argumentos do ex-prefeito de Avaré, Poio Novaes, que pediu reexame da rejeição das contas municipais de 2015, terceiro ano de mandato.

A decisão foi proferida na sessão ordinária do Tribunal Pleno do TCE, no dia 28 de fevereiro de 2018, e recepcionada pela Câmara de Vereadores, que publicou a decisão no Semanário Oficial.

A defesa de Poio argumentou que em função da ausência de repasses de outras esferas de governo, houve forte frustação de receitas de capital, tendo sido previstas mais de R$ 48 milhões e realizadas R$ 7 milhões.

“Medidas de controle dos gastos foram tomadas, como a redução do expediente de atendimento ao público, a despeito de não terem sido suficientes para reverter o déficit”, diz o documento enviado pelo ex-prefeito ao TCE.

Poio argumentou que a frustação de receitas obrigou a sua gestão a optar entre pagar a previdência ou atender as ações e serviços de saúde, as despesas com educação e a assistência social.

A Assessoria Técnica do TCE considerou que os elementos apresentados apenas reiteram argumentos já trazidos aos autos na primeira análise. “Nesse sentido, ponderou que não há a comprovação do efetivo cancelamento dos restos a pagar não processados, procedimentos necessário para a comprovação da extinção da obrigação de pagamento”, informa o parecer.

Pelo voto do Auditor Substituto de Conselho, Valdenir Antonio Polizero, relator, e dos Conselheiros Antonio Roque Citadini, Edgard Camargo Rodrigues, Cristiana de Castro Moraes, Dimas Eduardo Ramalho e Sidney Estanislau Beraldo, negaram o provimento, mantendo integralmente o parecer desfavorável emitido pela Segunda Câmara.

O parecer deverá ser votado pela Câmara, se aprovado Poio Novaes poderá perder os direitos políticos, fincando impossibilitado de participar de qualquer processo eleitoral.  

Faça um comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.