Em jogo histórico de nove gols, Flu vence Grêmio de virada no RS

Se você estava achando que início de Brasileirão ainda é sem graça, a terceira rodada que foi disputada neste fim de semana veio para mostrar que emoção e bola na rede são marcas registradas do campeonato.

Foi o que não faltou em Porto Alegre, no duelo entre tricolores. Grêmio e Fluminense tentavam a primeira vitória após três rodadas. Com a bola rolando, a equipe de Renato Gaúcho provou em 20 minutos que é possível jogar bonito e fazer gol. Isso porque André, Éverton Cebolinha e Jean Pyerre balançaram as redes adversárias com facilidade, o que dava indícios de uma goleada elástica. Quando o Flu parecia morto no jogo, Yoni Gonzáles diminuiu aos 38 da primeira etapa. Dois minutos depois, Luciano aproveitou bobeada do goleiro Júlio César e recolocou o time carioca na partida.

Com o três a dois, o técnico Fernando Diniz mudou a postura dos jogadores dentro de campo após o intervalo. E o que se viu na segunda etapa ficará guardado na memória dos torcedores. Empilhando chances no ataque, o Flu chegou ao empate aos nove minutos, gol de cabeça de Matheus Ferraz: três a três. Na reta final do jogo, o experiente Kanneman cometeu pênalti ao segurar o adversário dentro da área. Pedro bateu com categoria e colocou o Tricolor das Laranjeiras a frente no placar. Acha que acabou? Que nada! Depois de fazer o pênalti, Kanneman se redimiu com gol de cabeça e deixou tudo igual para o Grêmio. Vilão a herói em questão de minutos. Quatro a quatro, não perca as contas. Nos acréscimos, os deuses do futebol premiaram o esforço e a ousadia do Fluzão. Após bate-rebate na área, Yoni Gonzáles apareceu de novo e deu números finais ao jogo que será lembrado por muitos e muitos anos. Grêmio quatro, Fluminense cinco. O time gaúcho está em 18º, na zona do rebaixamento, enquanto o Flu saltou para o 13ª posição.

Com menos gols, mas bastante emoção, São Paulo e Flamengo se enfrentaram no Morumbi e demonstraram equilíbrio. O Rubro-Negro, que entrou em campo com uma equipe totalmente reserva, saiu na frente com Berrío, no primeiro tempo. Perto do apito final, Tchê Tchê deixou tudo igual. Esse foi o primeiro gol do volante vestindo a camisa do Tricolor Paulista. Final, São Paulo, em terceiro lugar, um, Flamengo um. 

No Engenhão, o Botafogo conseguiu engatar a segunda vitória seguida, depois de bater o Fortaleza por um a zero, mesmo placar da vitória do Bahia em cima do Avaí. CSA e Santos até que criaram chances, mas não balançaram as redes e empataram em zero a zero. Em BH, o Cruzeiro suou a camisa, mas venceu o Goiás por dois a um.

No jogo da manhã, a Chape ficou no empate com o Atlhetico Paranaense em um a um.

E quem assumiu a liderança foi o Atlético Mineiro, que com um gol no último lance do jogo, bateu o Ceará, de virada, por dois a um, na noite de sábado. Jair garantiu a vitória e a liderança do time mineiro. 

Também no sábado, em jogo quente, o Palmeiras bateu o Internacional em casa por um a zero, gol de Deyverson.

Em Manaus, Vasco e Corinthians fizeram a festa dos torcedores, mas ninguém saiu vencedor: um a um.

Faça um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.